Como é feito o diagnóstico?

Clínica Dr. Michel Menezes

Como é feito o diagnóstico?

A forma mais amplamente recomendada para avaliação do peso corporal em adultos é o IMC (índice de massa corporal), recomendado inclusive pela Organização Mundial da Saúde.

O índice de IMC é calculado dividindo-se o peso do paciente em kilogramas (Kg) pela sua altura em metros elevada ao quadrado (quadrado de sua altura) (ver ítem Avaliação Corporal, nesse site). O valor assim obtido estabelece o diagnóstico da obesidade e caracteriza também os riscos associados conforme apresentado a seguir:

IMC ( KG/M2)

  • 18 a 24,9
  • 25 a 29,9
  • 30 a 34,9
  • 35 a 39,9
  • 40 ou mais

Grau de risco

  • Peso saudável
  • Moderado
  • Alto
  • Muito Alto
  • Extremo

Tipo de obesidade

  • Ausente
  • Sobrepeso (Pré-Obesidade)
  • Obesidade Grau I
  • Obesidade Grau II
  • Obesidade Grau III (Mórbida)

Conforme pode ser observado, o peso normal, no indivíduo adulto, com mais de 20 anos de idade, varia conforme sua altura, o que faz com que possamos também estabelecer os limites inferiores e superiores de peso corporal para as diversas alturas conforme a seguinte tabela:

Altura (CM)

  • 145
  • 150
  • 155
  • 160
  • 165
  • 170
  • 175
  • 180
  • 185
  • 190

Peso inferior (KG)

  • 38
  • 41
  • 44
  • 47
  • 50
  • 53
  • 56
  • 59
  • 62
  • 65

Peso superior (KG)

  • 52
  • 56
  • 60
  • 64
  • 68
  • 72
  • 76
  • 80
  • 84
  • 88

A obesidade apresenta ainda algumas características que são importantes para a repercussão de seus riscos, dependendo do segmento corporal no qual há predominância da deposição gordurosa, sendo classificada em:

  • Obesidade Difusa ou Generalizada
  • Obesidade Andróide ou Troncular (ou Centrípeta), na qual o paciente apresenta uma forma corporal tendendo a maçã. Está associada com maior deposição de gordura visceral e se relaciona intensamente com alto risco de doenças metabólicas e cardiovasculares (Síndrome Plurimetabólica)
  • Obesidade Ginecóide, na qual a deposição de gordura predomina ao nível do quadril, fazendo com que o paciente apresente uma forma corporal semelhante a uma pêra. Está associada a um risco maior de artrose e varizes.

Essa classificação, por definir alguns riscos, é muito importante e por esse motivo fez com que se criasse um índice denominado Relação Cintura-Quadril, que é obtido pela divisão da circunferência da cintura abdominal pela circunferência do quadril do paciente. De uma forma geral se aceita que existem riscos metabólicos quando a Relação Cintura-Quadril seja maior do que 0,9 no homem e 0,8 na mulher. A simples medida da circunferência abdominal também já é considerado um indicador do risco de complicações da obesidade, sendo definida de acordo com o sexo do paciente:

Risco aumentado

  • Homem    94 cm
  • Mulher    80 cm

Risco muito aumentado

  • 102 cm
  • 88 cm

Essa classificação, por definir alguns riscos, é muito importante e por esse motivo fez com que se criasse um índice denominado Relação Cintura-Quadril, que é obtido pela divisão da circunferência da cintura abdominal pela circunferência do quadril do paciente. De uma forma geral se aceita que existem riscos metabólicos quando a Relação Cintura-Quadril seja maior do que 0,9 no homem e 0,8 na mulher. A simples medida da circunferência abdominal também já é considerado um indicador do risco de complicações da obesidade, sendo definida de acordo com o sexo do paciente:

Mude agora a sua vida

Ligue (21) 2286-6443 ou clique e envie um email